A Bela e a Fera sendo A Bela e a Fera!

Voltamos! Voltamos! Sei, sei que abandonamos um pouco o blog (a mudança ainda está puxada…), mas agora voltamos! E ainda estamos super empolgados, pois, com essa pequena pausa nos posts, decidimos voltar com um “#VEDA” adaptado! haha

Para quem não conhece #VEDA, VEDA significa “video every day” ou “vídeos todos os dias” em Abril ou Agosto (meses com a letra A). Como aqui nós – ainda – não fazemos vídeos, vamos fazer posts mesmo! E como estamos começando no dia 16, vamos só parar no dia 16 do mês que vem, mesmo!

Então, vamos lá?

#VEDA1

Para começar, nada melhor do que falar sobre “A Bela e a Fera”, pois comentamos tanto dele, tanto dos vídeos que eram lançados antes da estreia, que, depois que lançou, faltou da gente falar sobre o filme em si.

Primeiro: que filme! Que produção! Fiquei muito apaixonada pelo longa!

A live-action, de Bill Condon, com Emma Watson e Dan Stevens nos papéis principais, não deixou nada a desejar. A Bela e a Fera simplesmente foi  A Bela e a Fera. Para algumas pessoas que reclamaram, não sei o que dizer, pois simplesmente o filme fez sua tarefa de casa direitinho, seguindo o objetivo do clássico de 1991.

Misturar o real com a animação – o desenho – é trazer para mais perto aquela história. É fazer com que o telespectador se aproxime mais, se identifique mais com os personagens, e se apaixone mais pelo clássico.

Estava muito ansiosa para ver o filme. Era uma curiosidade para ver se a Disney seria capaz – como se não fosse haha – de fazer essa adaptação do desenho para o real. E, ainda, sendo de um clássico tão querido por tanta gente. E, quando assisti, não tive nenhuma decepção.

Da produção posso destacar alguns trabalhos incríveis: a direção e a coreografia, que conversaram muito bem. Não falo só de coreografia na parte dos atos musicais, falo em tudo. Os atores simplesmente pareciam que fluíam em cena. A direção de arte, com figurino, cenografia, foram trabalhos que estavam maravilhosos, muito bem feitos, e que completaram a direção de fotografia de um jeito que não consigo nem transmitir.

Apesar de muita gente não ter gostado da escolha de Ariana Grande para interpretar a música principal do filme, “Beauty and The Beast”, ela e John Legend fizeram uma versão linda, de emocionar. Mas, para quem ainda não viu, emoção mesmo sentimos quando a Bela deixa o castelo.

Sobre o tão polêmico caso de Gastão (Luke Evans) e LeFou (Josh Gad), sobre eles formarem um possível casal, acho que a polêmica foi BEM maior do que a própria relação entre os dois. Vejam antes de julgar, ok?

O filme foi tecnicamente muito bem feito. Os atores, não sei se posso dar tanto destaque para todos, mas os objetos com as vozes de Audra McDonald, no papel do Guarda-Roupa, e Ewan McGregor, como o Lumiére, estavam incríveis. Destaque também para Emma Thompson, como a Madame Samovar, que fez uma bela atuação em um personagem que faz toda a diferença para o filme.

 

O filme ainda está em cartaz, e vale super a pena ser visto. Já chegou na quarta semana, entrando para quinta, e já alcançou mais de 7.221.333 espectadores. Acho que o público gostou, não foi mesmo?! Batendo “50 tons mais escuros” e “La La Land”, os últimos grandes sucessos de bilheteria.

Gostou do meu post? Então compartilha!

Carol Cruz

Uma pessoa completamente apaixonada pela cultura (por todo tipo de cultura), uma produtora vidrada pelo mundo do teatro, principalmente dos musicais. Viciada em uma adrenalina de uma produção, seja ela em um ao vivo ou em um evento. Fofurices me encantam mas Caetano também. Escreve culturalmente através deste blog!

Um comentário em “A Bela e a Fera sendo A Bela e a Fera!

  1. Que massa!!! Como tinha comentado, gostei muito da versão Live Action. Também não sei o que as pessoas que não gostaram esperavam, o filme teve todo o cuidado em transpor a história para uma versão moderna (técnica e narrativamente falando), porém mantendo a linguagem clássica que o filme pedia.
    Direção de Arte, Efeitos, Trilha (como não gostar da trilha!? :D) e como vc bem pontuou, Coreografia! Tudo pra mim pareceu perfeitamente alinhado pra gerar duas reações no público: o ENCANTO enquanto o filme passava na tela, e a VONTADE de rever assim que os créditos finais começam a subir rsrsrsrs
    Ótimo texto Carol! Que bom que o blog voltou com tudo! Grande abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *