#CinePE2016 começa temporada com casa cheia!

Foto CinePE / Divulgação
Foto CinePE / Divulgação

Um dos maiores festivais de cinema do Brasil iniciou sua temporada 2016 com casa cheia. A 20ª edição do Cine PE começou na última segunda-feira (2) no Cinema São Luiz e recebeu profissionais da área e amantes da sétima arte.

O local não só estava cheio de fãs, como também, de produtores, atores e diretores, que vieram dos seus estados especialmente para o festival. Era praticamente uma reunião de pessoas da área. Na verdade, esse também é um dos principais objetivos do evento.

Mas como foi dito, os fãs também estavam presentes e não perderam tempo quando o assunto foi tirar aquela querida “selfie”. Eles também se deliciaram com os filmes reproduzidos na noite de ontem. Deu para notar pelas risadas, palmas e gritos de alegria que todos os filmes agradaram bem o público.

Momento emoção: filha, Debora Bloch, entragando o troféu calunga ao pai, Jonas Bloch, em homenagem à sua carreira. Foto CinePE / Divulgação
Momento emoção: filha, Debora Bloch, entragando o troféu calunga ao pai, Jonas Bloch, em homenagem à sua carreira. Foto CinePE / Divulgação

MOMENTO EMOÇÃO

O primeiro dia de festival também contou com a homenagem ao ator Jonas Bloch. Depois de exibição de um vídeo produzido pelo Canal Brasil, Jonas subiu ao palco e comentou da emoção que era receber esta homenagem no festival como o Cine PE e em um cinema como o Cinema São Luiz. Já não bastando a emoção do momento, quem entregou o troféu para o ator foi a atriz Deborá Bloch. Sua filha chegou de surpresa – para ele e para toda a plateia – e comentou de como é feliz por na sua vida ter tido uma pessoa como ele no seu crescimento, na sua educação, dentro da sua casa.

CURTAS DA NOITE

Tauana Uchôa no palco junto com sua equipe e apresentando o curta "Não tem só Mandacaru". Foto CinePE / Divulgação
Tauana Uchôa no palco junto com sua equipe e apresentando o curta “Não tem só Mandacaru”. Foto CinePE / Divulgação

O primeiro curta da Mostra Pernambuco (o festival divide a competição em três vertentes: Mostra Competitiva de Curtas-Metragens de Pernambuco, Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Nacionais, Mostra competitiva de longas-metragens) foi o “Não Tem Só Mandacaru”. A produção de Tauana Uchôa conta de forma leve a história da poesia na cidade de São José do Egito. Mostrando a cultura local, o curta traz de uma forma leve um nordeste não estereotipado, e o movimento que os jovens da cidade tem com os poemas. Ficou lindo, ficou leve, ficou contagiante e foi ovacionando pelo público que o assistia.

Walter Sales, Claudio Assis, Paulo Brusky e equipe do curta que leva o nome do artista. Foto CinePE / Divulgação
Walter Sales, Claudio Assis, Paulo Brusky e equipe do curta que leva o nome do artista. Foto CinePE / Divulgação

“Paulo Bruscky”, curta de Walter Carvalho, também foi muito aplaudido e tirou até umas risadas com as frases históricas do artista multimídia como: “Eu faço coisas que eu não entendo, imagine os outros”. Ou quando perguntado para ele o que era arte, Paulo não pensou duas vezes e soltou: “Quando eu souber eu souber o que é arte eu paro de fazer”. Com uma conversa desconstruída, o documentário é, na verdade, uma conversa bonita e sincera entre o Walter e Paulo sobre arte e sua carreira. Para completar o filme ainda conta com um momento “Paulo Pintor” onde ele produz uma tela na hora. Sensacional.

PRIMEIRO LONGA DO CINE PE 2016

Por Trás do CéuO primeiro longa a ser exibido na programação do festival foi o Por Trás do Céu, do diretor Caio Sóh. O paulista traz uma história bonita, um texto riquíssimo e delicado mas ao mesmo tempo intenso.

Risos e emoção são os dois sentimentos que podemos ter ao assistir o longa protagonizado pela atriz Nathalia Dill (Aparecida) e Emílio Orciollo Neto (Edivaldo), que também assina a produção do filme. Na história, Aparecida é uma mulher que vive – no sertão da Parabíba – praticamente de sonhos e o seu maior desejo é descobrir o que teria atrás do céu. Renato Goes (Micuim) faz uma papel espetacular, trazendo para a trama o riso no momento certo, descontraindo um pouco a tensão. Paula Bulamarqui também vem com uma interpretação forte no papel da Valquíria, que promete agitar a história.

Segredos, emoção, sonhos, risadas, tensão, paixão, paixão intensa, vida, são algumas palavras que podemos encontrar no filme, que não conta só com os personagens “humanos” mas também com outros personagens que dialogam com o público. Estou falando das locações que são de tirar o fôlego. Elas realmente estão ali contracenando junto com os atores. O sertão da Paraíba  deu todo um destaque para a narrativa.

Denis Feijão, produtor do longa metragem Por Trás do Céu, que teve sua estreia no Cine PE. Foto CinePE / Divulgação
Denis Feijão, produtor do longa metragem Por Trás do Céu, que teve sua estreia no Cine PE. Foto CinePE / Divulgação
Nathalia Dill e Emílio Orciollo Neto, protagonista do filme "Por Trás do Céu". Foto CinePE / Divulgação
Nathalia Dill e Emílio Orciollo Neto, protagonista do filme “Por Trás do Céu”. Foto CinePE / Divulgação
Equipe do longa Por Trás do Céu agradecendo aos envolvidos com o filme. Foto CinePE / Divulgação
Equipe do longa Por Trás do Céu agradecendo aos envolvidos com o filme. Foto CinePE / Divulgação

O festival continua até o dia 8 de maio no Cinema São Luiz no Recife, com ingressos no valor de R$5,00.

Confira a programação completa aqui.

Serviço

Quando? De 2 a 8 de Maio

Onde? Cinema São Luiz.

Rua da Aurora, 175. Boa Vista. Recife – PE.

Horário? Todos os dias a partir das 19h30

Ingresso? R$5,00

 

 

Gostou do meu post? Então compartilha!

Carol Cruz

Uma pessoa completamente apaixonada pela cultura (por todo tipo de cultura), uma produtora vidrada pelo mundo do teatro, principalmente dos musicais. Viciada em uma adrenalina de uma produção, seja ela em um ao vivo ou em um evento. Fofurices me encantam mas Caetano também. Escreve culturalmente através deste blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *