#Confira! Tem pré-indicado ao Oscar na lista dos filmes da Première Brasil do Festival do Rio

20160617-13151549_1138824746138109_329954937929942764_n-e1466191177339

O Festival do Rio acabou de divulgar quais serão os filmes que vão compor a Première Brasil. Serão 13 curtas e 35 longas brasileiros – sendo 8 do diretor Andrucha Waddington – que, além de competir pelo voto popular nas categorias melhor filme de ficção, melhor documentário e melhor curta, disputam o Troféu Redentor, em diferentes categorias, escolhido por um júri especial.

Os homenageados da 18ª edição do Festival serão o filme É um Caso de Polícia, de Carla Civelli, e os 15 anos de lançamento do Lavoura Arcaica, de Luiz Fernando Carvalho, que teve como base o romance homônimo de Raduan Nassar, escritor que recebeu o Prêmio Camões 2016 por ser um dos mais importantes da literatura em língua portuguesa. A produção premiada já recebeu 50 prêmios internacionais e 16 indicações.

Vamos à lista de filmes? Ah! Vale lembrar que o festival é dividido em diversas mostras, são elas: Mostra Competitiva de Longas, de Curtas, Mostra Novos Rumos de Longas e Curtas, Retratos Falados, Première Latina, Fronteiras e a Mostra de filmes Fora da Competição (Hour Concours), que contará com o mais curioso filme dos últimos dias: o Pequeno Segredo, de David Shurmann. O longa é o pré-indicado ao Oscar 2017, desbancando filmes como Aquarius.

Vale lembrar que o Festival acontecerá entre os dias 06 e 16 de Outubro.

Confira agora a lista completa dos selecionados:

 


LONGAS – MOSTRAS COMPETITIVAS


Ficção (Fiction)


1.  Comeback (Comeback), de Erico Rassi, 83 min (SP) WP (World Premiere).

2.  Era o Hotel Cambridge (Era o Hotel Cambridge), de Eliane Caffé, 90 min (SP)

3.   Fala Comigo (The Other End), de Felipe Sholl, 92 min (RJ) WP
  (World Premiere)

4.   Mulher do Pai (A Woman and the Father), de Cristiane Oliveira, 94 min (RS) (World Premiere)

5.  O Filho Eterno (The Eternal Son), de Paulo Machline, 82 min (SP) (World Premiere)

6.  Redemoinho (Whirlpool), de José Luiz Villamarim, 100 min (RJ) (World Premiere)

7.   Sob Pressão (Under Pressure), de Andrucha Waddington, 90 min (RJ) (World Premiere)

8.   Vermelho Russo (Russian Red), de Charly Braun, 90 min (SP) (World Premiere)

 Documentário (Documentary)


1.  Curumim (Curumim), de Marcos Prado, 100 min (RJ)

2.  Divinas Divas (Divine Divas), de Leandra Leal, 110 min (RJ) WP
 (World Premiere)

3.  Luta do Século (Fight of the Century), de Sergio Machado, 78 min (SP) WP
 (World Premiere)

4.  O Jabuti e a Anta (The Tortoise And The Tapir), de Eliza Capai, 70 min (SP) WP (World Premiere)

5.  Super Orquestra Arcoverdense de Ritmos Americanos (The Desert of Super Oara), de Sergio Oliveira, 79 min (PE) WP
 (World Premiere)

6.  Waiting for B. (Waiting for B.), de Paulo Cesar Toledo e Abigail Spindel, 71 min (SP)

 

Mostra Novos Rumos

1.  A Serpente (The Serpent), de Jura Capela, 73 min (RJ) WP
 (World Premiere)

2.  Deixa Na Régua (Fix Up, Look Sharp), de Emílio Domingos, 75 min (RJ) WP
 (World Premiere)

3.  Então Morri (Then I Died), de Bia Lessa e Dany Roland, 85 min (RJ) WP
 (World Premiere)

4.  Para Ter Onde Ir (Somewhere to Go), de Jorane Castro, 100 min (PA) WP
 (World Premiere)

5.  Talvez Deserto Talvez Universo (Maybe Desert Perhaps Universe), de Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes, 100 min (RJ)

6.  Xale (Shawl), de Douglas Soares, 71 min (RJ) WP
 
 (World Premiere)

CURTAS – MOSTRAS COMPETITIVAS (COMPETITIVE SHOWS)


1.  Antonieta (Antonieta), de Flávia Person, 15 min (SC) (DOC)

2.  Demônia – Melodrama em 3 atos (Demônia – A Melodrama in 3 Acts) , de Cainan Baladez e Fernanda Chicolet, 15 min (RJ) (FIC)

3.  Lápis cor de pele (Skin Tone Pencil), de Victória Roque, 16 min (RJ) (DOC)

4.  O Estacionamento (The Parking Lot), de William Biagioli, 15 min (PR) (FIC)

5.  O Ex-Mágico (The Ex-Magician), de Olimpio Costa e Mauricio Nunes, 11 min (PE) (FIC)

6.  O Homem da raia do canto (The man on the corner lane), de Cibele Santa Cruz, 15 min (RJ) (FIC) WP

7.  Postegardos (Postponed), de Carolina Markowicz, 17 min (SP) (FIC)

8.  Se por acaso (If by chance), de Pedro Freire, 15 min (RJ) (FIC)

Mostra Novos Rumos

1.  Sem Título #3: e para que poetas em tempo de pobreza? (And what are Poets for in a Time of Poverty?), de Carlos Adriano, 14 min (SP) (DOC)

2.  Janaina Overdrive (Janaina Overdrive), de Mozart Freire 19 min (CE) (FIC)

3.  Love Snaps (Love Snaps), de Daniel Ribeiro e Rafael Lessa, 13 min (SP) (FIC)

4.  Não me prometa nada (Don´t promise me anything), de Eva Randolph, 21 min (FIC)

LONGAS – MOSTRAS NÃO COMPETITIVAS


Hors Concours

Ficção
 


1.  BR 716 (BR 716), de Domingos Oliveira, 85 min (RJ)

2.  Elis (Elis), de Hugo Prata, 110 min (SP)

3.  Pequeno Segredo (Little Secret), de David Schurmann, 105 min (SP)

4.  O que seria deste mundo sem paixão? (What would this world without passion ?), de Luiz Carlos Lacerda, 75 min (RJ) WP
 
(World Premiere)

Documentário


1.  Cinema Novo (Cinema Novo), de Eryk Rocha, 90 min (RJ)

2.  Pitanga (Pitanga), de Beto Brant e Camila Pitanga, 110 min (SP) WP
 (World Premiere)

Curta 


1.  Os Cravos e a Rocha (Os Cravos e a Rocha), de Luísa Sequeira, 16 min (PT)

Retratos Falados

1.  Entre os homens de bem (The Stranger in the House), de Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros, 104 min (SP)

2.  Galeria F (Gallery F), de Emília Silveira, 86 min (RJ)

3.  Intolerância.doc (Intolerance.doc), de Susanna Lira, 85 min (RJ) WP
 (World Premiere)

4.  Holocausto Brasileiro, de Daniela Arbex  e Armando Mendz, 90 min (SP) WP
 
(World Premiere)

FILMES BRASILEIROS EM OUTRAS MOSTRA NO FESTIVAL DO RIO 2016

Première Latina

La Vingança (El Revenge), de Fernando Fraiha, 90 min (SP) WP
 (World Premiere)

Fronteiras

1.  Kabadio – O tempo não tem pressa, anda descalço (Kabadio – Time goes by slowly, barefoot), de Daniel Leite, 95 min (RJ)

2.  Central (Central), de Tatiana Sager e Renato Dornelles, 75 min (RS)

 

 

Gostou do meu post? Então compartilha!

Carol Cruz

Uma pessoa completamente apaixonada pela cultura (por todo tipo de cultura), uma produtora vidrada pelo mundo do teatro, principalmente dos musicais. Viciada em uma adrenalina de uma produção, seja ela em um ao vivo ou em um evento. Fofurices me encantam mas Caetano também. Escreve culturalmente através deste blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *