#EmCartaz! Especial Semana do Cinema Nacional!

Em plena semana do dia 19 de Junho, considerado o dia do cinema nacional, diversas produções brasileiras estrearam em vários cinemas do país. Para comemorar, nada melhor do que voltar com o nosso #EmCartaz falando só sobre cinema brasileiro.

Mulher do Pai

A produção Mulher do Pai, de Cristiane Oliveira, é um filme de total sensibilidade. Acho que “sensível” é a palavra que mais descreve o filme. A narrativa fala sobre relações – ou sobre solidão – de pessoas com o mundo totalmente diferente. Ruben (Marat Descartes) é um pai, uma pessoa deficiente visual. Nalu (Maria Galant) é sua filha, uma adolescente se tornando mulher. Uma fronteira. Rosário (Verónica Perrotta) é uma professora que chega na vida dos dois em pleno momento de transformação. Ajudando – ou não – eles a enfrentarem essa nova vida. E tudo isso se passando em uma cidade bem singular.

 

Divinas Divas

Uma das principais estreias da semana, Divinas Divas, de Leandra Leal, é um documentário que traz a história da primeira geração de artistas travestis do Brasil, nos anos de 1960. E um dos primeiros locais a receber esses artistas foi o Teatro Rival, que tinha a direção de Américo Leal, avô da diretora, e onde sua mãe Ângela Leal cresceu e se tornou atriz. O filme não é só sobre o que ela via, mas sobre um grupo de pessoas maravilhosas. A produção mostra desde a intimidade deles até histórias da carreira desse grupo que revolucionou um país – que no momento estava bem caótico – sobre o comportamento sexual das pessoas e desafiou a moral da época.

*O filme está em cartaz pelo Sessão Vitrine. Ou seja, em mais de 22 cidades, os ingressos para as sessões de Divinas Divas estão bem baratinhos. Vocês não tem desculpas! Clique aqui e saiba mais.

 

Quem é Primavera das Neves

Esse eu vi. É um filme extremamente lindo, sensível e poético.

Quem é Primavera das Neves, de Ana Luiza Azevedo e Jorge Furtado, é um documentário que conta a história de Primavera das Neves. Mas quem seria Primavera das Neves? Foi justamente essa pergunta que o diretor fez ao ler o livro Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, traduzido por essa mulher de nome tão curioso. Querendo saber mais quem ela era, Jorge Furtado pesquisou no Google, mas só achou um link sobre a tradutora. Então, em março de 2010, ele decide publicar um post no seu blog falando sobre isso. Depois de um tempo, Eulalie Ligneul, uma amiga muito próxima, estava lembrando da amiga Primavera com muito carinho. Então, sem justificativa, pesquisou o nome dela na internet e foi levada até o post de Jorge. Ela decide mandar uma carta/e-mail para ele. A partir daí, ele decide produzir o doc que ainda conta com a narração  da atriz Mariana Lima.

 

Meus 15 anos

Então, né… aqui nós damos espaço para todos os gêneros lindezas do nosso cinema brasileiro.

A nossa última, mas não menos importante, dica da semana é o filme Meus 15 anos, de Caroline Fioratti, com Larissa Manoela, uma das maiores estrelas do mundo teen, conta a história de Bia, uma adolescente de 14 anos prestes a completar 15. Com um  jeito tímido de ser, Bia é daquele tipo de menina que não é muito popular na escola, é sonhadora e bem apaixonada por música. Perto do seu aniversário, seu pai Edu, interpretado pelo ator Rafael Infante, está todo empolgado para fazer uma festa, enquanto a menina não liga nada nada para isso. Então, ele decide – por conta própria – participar de um sorteio de uma festa de 15 anos que uma empresa estava fazendo. E quem ganha? Isso. A própria Bia ganha o sorteio. E a partir desse novo desafio de realizar uma festa para uma menina que não tinha quase amigos nenhum na escola, que o filme vai se desenvolvendo.

Para os fãs, o filme ainda conta com a participação da cantora Anitta.

Alguns outros críticos já viram e gostaram.

 

Gostou do meu post? Então compartilha!

Carol Cruz

Uma pessoa completamente apaixonada pela cultura (por todo tipo de cultura), uma produtora vidrada pelo mundo do teatro, principalmente dos musicais. Viciada em uma adrenalina de uma produção, seja ela em um ao vivo ou em um evento. Fofurices me encantam mas Caetano também. Escreve culturalmente através deste blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *