#ÉTudoVerdade! Conheça os premiados da 22ª edição do festival!

Tyrrel Spencer, diretor de "Cidades Fantasmas", recebendo o principal prêmio da noite. Foto: Carolina Cruz/ Culturalmente Falando.
Tyrrel Spencer, diretor de “Cidades Fantasmas”, recebendo o principal prêmio da noite. Foto: Carolina Cruz/ Culturalmente Falando.

Em uma noite fria e cheia de saudade, chega ao fim mais uma edição do Festival Internacional de Documentários, o É Tudo Verdade. A 22ª edição do Festival recebeu variadas produções brasileiras e estrangeiras de documentários. Em 11 dias de evento (amanhã – 30 – ainda tem sessões com alguns filmes que já passaram, além das produções vencedoras), foram exibidos 82 longas e curtas divididos 9 categorias, entre elas a Mostra Competitiva de Curtas e de Longas latino-americanos, nacionais, internacionais.

E os vencedores dessas categorias foram anunciados na noite de hoje (29), que começou com um depoimento de Amir Labaki – realizador e fundador do Festival – agradecendo imensamente à equipe e às pessoas que ajudaram o festival acontece, inclusive o público, que lotou todos os dias os cinemas do Rio de Janeiro e de São Paulo, onde o ETV aconteceu.

Eles  iniciaram as premiações com o Prêmio da ABRACINNE (Associação Brasileira de Críticos de Cinema), que teve o júri composto por Camila Vieira, Cássio Starling Carlos e Cesar Zamberlan:

Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem da Competição Brasileira

A Terceira Margem, de Fabian Remy.

Melhor Documentário de Curta-Metragem da Competição Brasileira

Festejo Muito Pessoal, de Carlos Adriano.

A produção "Festejo Muito Pessoal" leva o prêmio de melhor documentário de curta metragem pela ABRACCINE, além da Menção Honrosa na premiação principal. Foto: Carolina Cruz/ Culturalmente Falando.
A produção “Festejo Muito Pessoal” leva o prêmio de melhor documentário de curta metragem pela ABRACCINE, além da Menção Honrosa na premiação principal. Foto: Carolina Cruz/ Culturalmente Falando.

O prêmio Canal Brasil de Curtas foi entregue por Luiza Lusvarghi, que também compôs o júri, junto com Cid Nader, Edu Fernandes, Barbara Demerov e Luiza Wolf.

Melhor Documentário de Curta-Metragem da Competição Brasileira

Se Você Contar, de Roberta Fernandes.

Roberta, diretora estreante, fez questão de lembrar que é necessário falar sobre o abuso sexual na infância, tema da produção, além de ter comentado o quanto foi difícil produzir o curta com uma equipe tão curta com ela e Rodrigo Cerqueira fazendo quase tudo sozinhos.

Prêmio Mistika

Melhor Documentário de Curta-Metragem da Competição Brasileira

Boca de Fogo, de Luciano Pérez Fernández,

O cineasta Alexandre O. Philippe, a cineasta francesa Anne Georget e a produtora chilena Jennifer Walton, formaram o júri da competição da Mostra Latino-Americana e Internacional. E os premiados das categorias respectivamente foram:

Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem

Los Ninos, de Maite Alberdi.

Menção Honrosa para Documentário de Longa ou Média-Metragem

Atentamente, de Camila Rodríguez Triana.

Mostra Competitiva Internacional…

Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem

Comunhão, de Anna Zamecka.

Melhor Documentário de Curta-Metragem

O Cuidador, de Joost Van Der Wiel.

Menção Honrosa para Documentário de Longa ou Média-Metragem

O Show da Guerra, de Andreas Dalsgaard e Obaidah Zytoon.

Menção Honrosa para Documentário de Curta-Metragem

Polonesa, de Agnieszka Elbanowska.

Já o Júri Nacional foi composto pela produtora Daniela Capelato, o diretor de fotografia Jacques Cheuiche e o cineasta Joel Zito Araújo. E os premiados foram:

Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem

Cidades Fantasmas, de Tyrell Spencer.

O filme "Boca de Fogo" recebe o prêmio de melhor documentário de curta-metragem. Foto: Carolina Cruz/ Culturalmente Falando.
O filme “Boca de Fogo” recebe o prêmio de melhor documentário de curta-metragem. Foto: Carolina Cruz/ Culturalmente Falando.

Melhor Documentário de Curta-Metragem

Boca de Fogo, de Luciano Pérez Fernández.

Menção Honrosa para Documentário de Curta-Metragem

Festejo Muito Pessoal, de Carlos Adriano.

E a noite se encerrou com a exibição dos curtas e longas dessas duas últimas categorias.

Vale ressaltar que os premiados nas categorias melhor curta nacional e internacional ganharam o prêmio no valor de 8 mil reais, além da chance de fazer sua pré-inscrição no Oscar 2018 na categoria Melhor Curta Documental. No final das premiações e do seu discurso, Amir já anunciou que a próxima edição acontecerá entre os dias 12 e 22 de Abril do próximo ano.

 

Gostou do meu post? Então compartilha!

Carol Cruz

Uma pessoa completamente apaixonada pela cultura (por todo tipo de cultura), uma produtora vidrada pelo mundo do teatro, principalmente dos musicais. Viciada em uma adrenalina de uma produção, seja ela em um ao vivo ou em um evento. Fofurices me encantam mas Caetano também. Escreve culturalmente através deste blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *