Os vencedores do Cine PE 2016…

Os grandes vencedores do CinePE 2016. Foto: Daniela Nader/Divulgação.
Os grandes vencedores do CinePE 2016. Foto: Daniela Nader/Divulgação.

Vamos apertar o pause para os textos sobre os filmes – estou devendo comentários sobre a noite do sábado (7) que foi excelente – para falar sobre os vencedores do CinePE 2016.

Se agradou a todos? Não, não agradou mas também os vencedores foram merecedores. (???) Já já explico e você vai compreender.

Os filmes foram divididos em “três grupos” (Curtas Pernambuco, Curtas Nacionais e Longas Metragens) e premiados em diferentes categorias (incluindo Prêmio Canal Brasil e Prêmio da Abraccine – Associação Brasileira de críticos de cinema). O grande vencedor da noite foi o longa de Deby Brennand, o Danado de Bom, levando inclusive o calunga de melhor filme. Foi uma surpresa. É um bom filme mas eu senti que um, ou melhor, que outros dois pudessem ganhar. E para mim a maior surpresa foi As Aventuras do Pequeno Napoleão ter ganho o de melhor direção (????). Também não estou desmerecendo o longa de Rodrigo Gava. É um filme ok mas tinham outros tão bem dirigidos que esse prêmio realmente virou a  surpresa da noite.

Por Trás do Sol de Caio Sóh foi destaque levando cinco calungas para casa. Foto: Daniela Nader/Divulgação.
Por Trás do Sol de Caio Sóh foi destaque levando cinco calungas para casa. Foto: Daniela Nader/Divulgação.

Então eu te pergunto: Cadê a premiação para Guerra do Paraguay, de Luiz Rosemberg Filho? (ainda não escrevi sobre ele pois tem que ser um post especial que merece toda a atenção do mundo e o tempo do Cine PE não me deixou escrever) Direção? Roteiro? Nada? Cadê? Por Trás do Céu, de Caio Sóh (também é outro que merece um post especial e tempo) levou muitos prêmios – técnicos e de atores coadjuvante – mas era uma melhor opção – junto com o do Rô – para levar o prêmio de melhor direção.

Voltei para casa revoltada. Repetindo horrores: como assim Guerra do Paraguay não levou “nada”? O nada foi entre aspas pois graças à Abraccine o filme levou o prêmio da crítica, e o Festival deu o Prêmio Especial pelo conjunto da Obra para o Rô.

Luiz Rosemberg Filho, o grande diretor e roteirista do Guerra do Paraguay. Foto: Daniela Nader/Divulgação.
Luiz Rosemberg Filho, o grande diretor e roteirista do Guerra do Paraguay. Foto: Daniela Nader/Divulgação.

E sobre os curtas.

Fiquei feliz pelos calungas de O Coelho, de Marcello Sampaio – sei que meu comentário sobre ele aqui foi meio “tenso” mas o que eu mais elogiei, que foi o jeito que eles trabalharam com a atriz mirim, acabou dando à eles um dos Calungas (foram 4 no total). Também fiquei feliz pelos prêmios de Tauana Uchôa, dos técnicos de Das Águas que Passam, de Maria, de Carol Correia, da trilha de Gramathyca, e os de Redemunho, de Marcélia Cartaxo.

As pernambucanas: Tauana Uchôa, Carol Correia, Roberta Jansen e Marianna Brennand. Foto: Daniela Nader/Divulgação.
As pernambucanas: Tauana Uchôa (Nem Tudo é Mandacaru e A Vida em uma Viagem), Carol Correia (Maria), Roberta Jansen e Marianna Brennand (Danado de Bom). Foto: Daniela Nader/Divulgação.

A seguir veja a lista completa dos premiados :

Prêmio Canal Brasil

O Redemunho, de Marcélia Cartaxo

Prêmio Abraccine

Curta metragem: Paulo Bruscky, de Walter Carvalho

Longa metragem: Guerra do Paraguay, de Luiz Rosemberg Filho

Curta Pernambuco

Juri Popular: Diva, de Luiz Rodrigues Jr.

Melhor Diretora: Tauana Uchôa, pelo “Não Tem Só Mandacaru”

Melhor Curta: Maria, de Carol Correia

Curtas Nacionais

Melhor Atriz: Ingrid Cairo (O Coelho)

Melhor Ator: Daniel Porpino (Redemunho)

Melhor Trilha: Gramathyca, da diretora Paloma Rocha

Melhor Direção de Arte: This Is Note a Song of Hope, de Daniel Aragão

Direção de Som: Das Águas que Passam, do Diego Zon

Melhor Montagem: Engolervilha, do diretor Marão

Melhor fotografia: O Coelho, de Marcello Sampaio

Melhor Roteiro: Redemunho

Melhor Direção: O Coelho

Júri Popular: O Coelho

Melhor Filme: Redemunho

Longa Metragens

Melhor atriz coadjuvante: Paula Bulamarqui, por Por Trás do Céu

Melhor ator coadjuvante: Renato Góis, por Por Trás do Céu

Melhor atriz: Simone Iliescu, por Leste Oeste

Melhor ator: Felipe Kannenberg, por Leste Oeste

Melhor Trilha: Ary Sperling, do As Aventuras do Pequeno Colombo

Direção de Arte: Ana Isaura, Sano Zanardi e Kennedy Mariano, do Por Trás do Céu

Edição de Som: Danado de Bom, de Deby Brandão

Melhor Montagem: Jordana Berg, por Danado de Bom

Melhor Fotografia: Janas Malaquias, Pablo Nóbrega, Pedro Von Krüger, do Danado de Bom

Melhor Roteiro: Caio Sóh, de Por Trás do Céu

Melhor Direção: Rodrigo Gava, do As Aventuras do Pequeno Colombo

Prêmio Especial pelo “Conjunto da Obra”: Luiz Rosemberg Filho

Melhor Filme: Danado de Bom, de Deby Brennand

 

A seguir, post com entrevistas de alguns premiados da noite…

 

Gostou do meu post? Então compartilha!

Carol Cruz

Uma pessoa completamente apaixonada pela cultura (por todo tipo de cultura), uma produtora vidrada pelo mundo do teatro, principalmente dos musicais. Viciada em uma adrenalina de uma produção, seja ela em um ao vivo ou em um evento. Fofurices me encantam mas Caetano também. Escreve culturalmente através deste blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *