“Raia 30 – O Musical” volta em cartaz com toda dedicação e talento

Momento final do espetáculo. Foto Culturalmente Falando
Momento final do espetáculo. Foto Culturalmente Falando

“Raia 30 – o musical”, espetáculo que conta a história dos 30 anos de carreira da atriz Claudia Raia, veio ao Recife e mostrou toda sua dedicação e amor que ela (eles, o elenco) tem como palco, a dança e a arte.

Em 90 minutos de espetáculo o público pode acompanhar como foram esses anos e como a bailaria, atriz cantora e produtora, Maria Claudia Mota Raia – como ela sempre se apresentava antes de ganhar seu nome artístico – alcançou todo esse sucesso merecido. Com um texto leve escrito pelo amigo irmão Miguel Falabela, Claudia conta alguns dos principais momentos da sua carreira, passando levemente pela vida pessoal. Praticamente, uma conversa bem aberta com o público.

Sem esquecer de nenhuma pessoa que te ajudou, Claudia mostra ser muito grata. Começando por sua mão, Odete Mota Raia (Mariana Gallindo) e sua irmã Olenka Raia (Carol Costa), seguido por Lennie Dale (Ygor Zago), um dos principais bailarinos americanos que encantou o mundo com seu Dzi Croquetes, sua primeira inspiração profissional. Foi aos 7 anos que Claudia falou: Lennie, eu danço igual à você! E foi assim que tudo começou.

O espetáculo passa por momentos de destaque como sua fase de Teatro de Revista – hora muito especial do espetáculo, onde Claudia mostra toda sua interação com sua plateia – quando viveu na Argentina. Depois, a história passa pelo o seu primeiro trabalho de atriz que foi no musical Chorus Line como Sheila.

Outros momentos relembrados são: quando Jô Soares a chamou para sua primeira participação na TV, sua personagem em Roque Santeiro, depois o grande sucesso Tancinha em Sassaricando, presente de Silvio de Abreu, Tonhão na TV Pirata, e rapidamente passando “meigamente” por Donatela de A Favorita.

A direção do musical, que está incrível, ficou por conta de José Possi Neto. Talentosíssimo e renomado diretor que já vem no terceiro trabalho com Claudia. José já dirigiu Cabaret e Crazy for you. Já a coreografia tem assinatura de Tânia Nardini. O trabalho dela junto com a dedicação – palavra chave do espetáculo – de todo o elenco, é de tirar o fôlego. O corpo de baile chega no palco com toda a marcação, ritmo, swingue – destaque para o ato onde eles representam um dos momentos do musical Nas raias da loucura –  e voz. Vale ressaltar esse ponto, pois o alcance de voz de TODO o elenco é espetacular.

Falando em voz, a direção do musical é do Marconi Araújo que ficou responsável por trazer novas trilhas e recuperar antigas músicas que fizeram parte da vida profissional da Raia. Por exemplo, o grande “hit” da sua vida, “Não Fuja da Raia”, música homônima ao seu segundo espetáculo, que teve um grande sucesso. Cabaret, outro musical de enorme sucesso no Brasil, não poderia ficar de fora. Em um ato lindíssimo, todo o elenco traz um pouquinho do mundo do Cabaret para o Raia 30. Não Fuja da Raia também é outro espetáculo lembrado com uma pequena apresentação de um ato da apresentação original.

Como já comentamos, ela é bem grata a pessoas que fizeram parte da sua vida durante o espetáculo. Além de ser um musical escrito pelo seu amigo, Claudia também separa um tempo para agradecê-lo, contando para o público sobre o primeiro trabalho que eles fizeram juntos, O Beijo da Mulher Aranha.

Claudia Raia está quase sempre em cena, são raros os momentos que não a presenciamos em palco. Para isso, o suporte de um bom elenco é necessário e importante. O restante do elenco está incrível. Eles se dividem entre papeis das pessoas importantes que passaram por Claudia e dançarinos incríveis que mostram seu ballet, seu jazz e seu sapateado. E que sapateado! Vale o destaque. Ato incrível, de ficar só observando aquela arte nos pés de Daniel Cabral e o Elton Towersey. Sem falar no “monstro” do musical brasileiro, Marcos Tumura, que depois de um tempo afastado dos palcos, volta em cena como uma espécie de narrador da história, mas antes de tudo, amigo querido da homenageada. Dança, voz, um talento de ator.

No cenário, uma estrutura enorme sem muitos detalhes mas os detalhes que tem se tornam o diferencial do espetáculo junto com a luz. Trabalhos assinados respectivamente por Gringo Cardio e Drika Matheus. O figurino também é outra coisa a parte. Fabio Namatame trouxe para Claudia e elenco toda a exuberância e elegância de uma carreira como a dela.

Aí você se pergunta: se ela está quase sempre em cena, como acontece as trocas de cenários e roupas? O espetáculo em si tem a ajuda da dança para toda transição de tempo da história.

Um belo espetáculo. Uma bela homenagem que fizeram para Claudia e que ela faz para todos aqueles que ajudaram ela chegar até aqui.

“O teatro me abraçou, e sou lhe grata pois jamais me abandonou”. – Claudia Raia em Raia 30 – o Musical.

10553496_1687488988178386_9082617409375814564_n (1)Raia 30 continua sua turnê por algumas cidades do país.

Serviço

Salvador

 No Teatro Castro Alves dias 22, 23 e 24 de Abril

Ingressos? na bilheteria, no site ou nas lojas SAC do Shopping Barra e do Shopping Bela Vista

Fortaleza

No Cine Teatro São Luiz nos dias  29, 30 e 01 de Maio

Bilheteria ou site Ingresso Rápido

Belo Horizonte

No Sesc Palladium nos dias 06, 07 e 08 de Maio

Ingressos na bilheteria ou pelo site Ingresso Rápido

Gostou do meu post? Então compartilha!

Carol Cruz

Uma pessoa completamente apaixonada pela cultura (por todo tipo de cultura), uma produtora vidrada pelo mundo do teatro, principalmente dos musicais. Viciada em uma adrenalina de uma produção, seja ela em um ao vivo ou em um evento. Fofurices me encantam mas Caetano também. Escreve culturalmente através deste blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *