São Paulo: quem vê de longe pensa

Foto tirada no ano de 2015, de dentro do carro. (Desculpe a qualidade, mas esta foto teve uma leve cortada). Foto: Carolina Cruz/ Culturalmente Falando.

Texto retirado do meu instagram no último aniversário de São Paulo:

Quando tirei essa foto, não imaginava nunca que estaria onde estou agora.
De primeira, não gostava de você. Depois de tanto te visitar, aquilo que eu sentia foi mudando. Hoje, vivendo em você todos os dias, eu sou muito louca pela sua loucura.
Quem vê de longe pensa que você é fria. Mas foi em você onde encontrei as pessoas com os maiores braços do mundo. Nesses braços, sou muito bem acolhida e amada. Quem vê de longe pensa que você é preconceituosa com os nordestinos. Sim. Você já foi (pode até voltar a ser um dia) preconceituosa comigo. Mas hoje só escuto: “que sotaque mais lindo!” Quem vê de longe fala que você é muito agoniada e nem respira direito. Mas não. Você respira sim. Respira arte. Respira vida. Respira tempo. Respira todas aquelas oportunidades. Quem vê de longe diz que você é bem fresca. Mas não tanto assim. Ao mesmo tempo que você se comporta como a maior fresquinha, você é a pessoa mais aberta que eu já conheci. Nada, nenhuma diferença, nenhuma mísera situação vai te impedir de dizer o que sente. Dizem que você é seca e fria. Mas não. Pode até ser em relação ao clima,menos quando o assunto é conhecer novas pessoas. Continuam dizendo que você é fria. Mas até que não. Você até que é muito gentil.
Sempre falam que o melhor lugar é o agora. Seis anos vivi desacreditando nessa frase. Há quase um ano eu tenho certeza que ela é a maior verdade de todas.
Óbvio que você não vai agradar a todos. Ninguém agrada. Mas siga assim, com muito agrado e amor. Obrigada, Sampa! ❤ #SP464

Gostou do meu post? Então compartilha!

Carol Cruz

Uma pessoa completamente apaixonada pela cultura (por todo tipo de cultura), uma produtora vidrada pelo mundo do teatro, principalmente dos musicais. Viciada em uma adrenalina de uma produção, seja ela em um ao vivo ou em um evento. Fofurices me encantam mas Caetano também. Escreve culturalmente através deste blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *